segunda-feira, 13 de julho de 2009

Retrato Ardente


Entre os teus lábios
é que a loucura acode
desce à garganta,
invade a água.

No teu peito
é que o pólen do fogo
se junta à nascente,
alastra na sombra.

Nos teus flancos
é que a fonte começa
a ser rio de abelhas,
rumor de tigre.

Da cintura aos joelhos
é que a areia queima,
o sol é secreto,
cego o silêncio.

Deita-te comigo.
Ilumina meus vidros.
Entre lábios e lábios
toda a música é minha.

Eugénio de Andrade, in "Obscuro Domínio"

7 comentários:

N@noTeC no seu melhor, ou não... disse...

Hoje não paras é... tas com fogo nos dedos?!?! lol

Just me disse...

Não!!!!! Estou viva! É diferente!

Beijo

sonia disse...

Lindo, lindo!

Estás viva, com fogo nos dedos e eu atrasadissima a comentar tanta coisa!!!

Beijoca

Just me disse...

Já chegas-te ao fim!!! Quem te manda ir para longe da civilização durante o fim de semana????

Beijocas!!1

Paulo disse...

Devo dizer que tens bom gosto literário...

Só me resta dizer "Até Amanhã":

"Sei agora como nasceu a alegria,
como nasce o vento entre barcos de papel,
como nasce a água ou o amor
quando a juventude não é uma lágrima.

É primeiro só um rumor de espuma
à roda do corpo que desperta,
sílaba espessa, beijo acumulado,
amanhecer de pássaros no sangue.

É subitamente um grito,
um grito apertado nos dentes,
galope de cavalos num horizonte
onde o mar é diurno e sem palavras.

Falei de tudo quanto amei.
De coisas que te dou
para que tu as ames comigo:
a juventude, o vento e as areias"

BJS GRANDES

Joaquim Rego disse...

de onde veio essa inspiração???

Este tambem é LINDO

Just me disse...

Paulo:

Obrigado!!! Também tenho de pôr este no blogue!!!

Joaquim:

Procurei e encontrei o poema que mostrava aquilo que eu sentia na hora!!!!!!!

Obrigado!

Beijocas!!!