domingo, 23 de agosto de 2009



Terror de te amar num sítio tão frágil como o mundo

Mal de te amar neste lugar de imperfeição
Onde tudo nos quebra e emudece
Onde tudo nos mente e nos separa

By Sophia de Mello Breyner Anderson

3 comentários:

sonia disse...

Terror de amar em qualquer lado! Complicam o amor de uma maneira que eu só te posso citar! "Medo...muito medo!"

Beijo

Just me disse...

É mesmo isso, medo, muito medo!!!!

Ou numa outra versão: ca miedo!!!

Beijocas

Paulo disse...

"De um amor morto fica
Um pesado tempo quotidiano
Onde os gestos se esbarram
Ao longo do ano

De um amor morto não fica
Nenhuma memória
O passado se rende
O presente o devora
E os navios do tempo
Agudos e lentos
O levam embora

Pois um amor morto não deixa
Em nós seu retrato
De infinita demora
É apenas um facto
Que a eternidade ignora"

Espero que gostem e se enquadre...

BJS GRANDES