quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Compromissos


Voltar a ver-te, amor, desocupado.

Um dia, por fim livre.

Quero dizer, uma noite inteira. Ouvir-te

do quarto, já quase em sonhos,

parar o carro na minha casa, subir no elevador,

subir, subir, subir, muito lentamente,

como se nunca fosses chegar,

e desligar o tempo, que não soe amanhã,

ou, em todo o caso, dizer-lhe que não está ninguém,

que estamos com febre ou na cama

convalescentes.


 

Inmaculada Mengíbar

3 comentários:

Paulo disse...

Bem que queria comentar, mas depois de ler isto, não consigo...

Quem o escreveu e acima de tudo quem o "publicou" são únicos e sabem do que estão a falar...

BJS GRANDES

Just me disse...

Paulo:

Vocês sabem do que é que eu estou a falar! Grande Octávio Machado!!!

Beijo

Paulo disse...

OK, acho que já lá cheguei...

BJS GRANDES