sexta-feira, 16 de outubro de 2009

O Amor é um género literário

Pensei em escrever-te como se não existisse

ainda o feminismo. Como se o nosso tempo

não fosse o fim do século, nem ninguém conhecesse

a igualdade dos sexos, nem causasse estranheza

ouvir que te dissesse que o amor que eu sinto

por ti nunca poderias tu senti-lo por ninguém.

Talvez o amor seja apenas literatura

que muda com o tempo. Eu suponho que nós

não amamos como Shakespeare, nem Shakespeare como Dante

nem Dante como Safo, nem Safo como niguém.


Carlos Martínez Aguirre

3 comentários:

Paulo disse...

"... Talvez o amor seja apenas literatura
que muda com o tempo..."

Eu diria que o amor que se sente por alguém é único e acima de tudo intemporal...

Não sei se estou certo ou não, mas é o que penso...

BJS GRANDES

Just me disse...

Paulo:

O amor é único, isso tens razão, é um sentimento único e que nunca se repete, nunca amas uma pessoa da mesma maneira que amas-te uma outra!

Beijocas

Paulo disse...

Concordo plenamente, até porque por muito que se tente não há dois amores iguais...

BJS GRANDES