segunda-feira, 28 de setembro de 2009


Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...

Florbela Espanca, in "Charneca em Flor"

5 comentários:

Paulo disse...

LÁ ESTAREI...

BJS GRANDES

sonia disse...

Florbela Espanca não precisa de comentarios nem de elogios. Poema bem ao estilo dela...

Beijo

Vasco Lopes disse...

Este é um exclusivo da minha Florbela. Tenham paciência.

Just me disse...

Paulo:

Combinado!

Sónia:

Culpa tua que me ofereces-te o livro!

Vasco:

Eu tenho paciência, aliás eu nem sabia que tinha tanta! LOL!!!!

Beijocas!!!!

Paulo disse...

FIXE!!!!

Acredita que vai valer a pena...

BJS GRANDES